sábado, 23 de maio de 2009

Junho está chegando!!!!















Você sabe a origem das festas juninas?

As Festas Juninas são celebradas ao longo do mês de junho. Sua origem foram as festas pagãs, com fogueiras e queimas de fogos para afugentar os maus espíritos. Elas começaram nos campos e plantações originando os trajes típicos de caipiras e sinhazinhas, com casamento de roça, discurso do padrinho e as capelinhas decoradas.
Com o passar do tempo, as festividades foram tomando um cunho religioso. Pela tradição, a festa junina consiste em celebrar os bons resultados da colheita e também, pedir que o próximo plantio traga bons frutos. São João é o santo protetor das colheitas e se faz comemorar com seus
seguidores: Santo Antonio e São Pedro (assim, 24, 13, 29 de junho).

Esta festividade demonstra devoção e homenagem dos devotos. As festas juninas estão enraizadas de arte popular com suas influências próprias das regiões, cheias de pureza, ingenuidade, poesia e inspiração.

Que tal aproveitar a expectativa das festas juninas e trabalhar um novo gênero textual com as crianças?

Um texto instrucional: Uma receita

Várias receitas de comidas típicas da festa junina levam milho: milho cozido, mingau, pamonha, bolo de milho, canjica, pipoca dentre outros.

Construa com as crianças um bilhete, pedindo às famílias sugestões de receitas que conhecem. É preciso colocar em evidência aspectos importantes desse gênero textual (bilhete):

- para quem estamos escrevendo?

- Quais as palavras usaremos para que o pessoal de casa compreenda nosso pedido?

- Como despedir?

- Devemos agradecer antecipadamente?

- Como a pessoa que lerá o bilhete ficará informada do prazo para enviar o material pedido?

Após pesquisar e trabalhar sobre receitas típicas do mês de junho, que tal construir um milharal de mentirinha com as crianças?

Utilizando os cilindros de papelão que vêm dentro dos rolos de papel higiênico, podemos construir as espigas de milho. Encape-os de papel fantasia amarelo para serem a base de cada milho.

Coloque a meninada para picar papel crepom, de um amarelo um pouco mais forte, fazendo bolinhas que futuramente serão os grãos do milho.

Passe cola nos tubos encapados (um risco de cola por vez) e peça que as crianças colem naquele risco, as bolinhas de papel crepom. Faça isso sucessivamente até que a espiga fique pronta.

Finalize a espiga com papel crepom verde. Arme o milharal numa grade ou tela da escola (escolha um local que não corra o risco de molhar ou faça você mesma uma grade de barbante na sua sala), adicionando algumas folhas confeccionadas também em papel crepom verde, para finalizar o milharal.

3 comentários:

Pedro Antônio disse...

Ei, Rose!

Eu amo Festa Juninaaaa!

Um beijãooo.

Pedro Antônio - A TORRE MÁGICA - www.atorremagica.blogspot.com

Clayton Ângelo disse...

Oi Rose, gostei muito de saber da história das festas juninas. Gosto demais dessa época. Me faz lembrar meus tempos de criança. Essa é uma das tradições mais bonitas e alegres que devemos valorizar e preservar. Abraços.

Anônimo disse...

Olá Rose,

o início do mes de julho foi tão corrido que não comentei com vc. Fiz a espiga de milho com minha turma da tarde. Eles adoraram!!!!

Cláudia Fernanda